Como processar evidências digitais no processo de trabalho.

A prova digital do trabalho é considerada o futuro desta parte da lei. Afinal, na era digital, essa evidência constitui uma nova realidade na qual é necessário incluir elementos críticos para a continuidade do processo.

A utilização de provas digitais no processo de trabalho é cada vez mais comum. Em determinadas circunstâncias, alguns juízes exigem que os documentos de mídia sejam verificados por ato notarial ou outro meio, a fim de trazer maior confiança à submissão. Sim, cada vez mais essas provas estão sendo admitidas em ações trabalhistas. De fato, a Justiça do Trabalho foi pioneira no uso da prova digital nas diretrizes processuais.

Atento ao novo cenário cultural e às tendências trazidas pelas novas tecnologias, desde 2020 a Justiça do Trabalho tem facilitado a formação de magistrados e servidores na produção de provas digitais por meio do Programa Provas Digitais.

Informações como horas extras, insalubridade, periculosidade, reintegração, diferenças salariais, aviso prévio, férias, DSR, 13º salário, etc. formam um emaranhado que só a automação pode dar conta. Além, é claro, da diversidade de índices aceitos pelos ministros. 

Atualmente, nenhum órgão define as regras e práticas a serem adotadas durante a análise computacional. No entanto, devido à necessidade de manter a confiabilidade ao lidar com as provas que precisamos apresentar ao departamento jurídico, uma variedade de técnicas deve ser usada para preservar as provas.

Devido ao volume e complexidade dos dados digitais, as empresas recorrem a sistemas integrados. Não há como fugir das utilidades online para atender às necessidades das empresas, principalmente as de grande porte”, Antonio Carlos Alvim de Advocate Macdata CEO Macedo 


Por Silvana de Oliveira:  Mediadora e Árbitro, Vice-presidente da Just Arbitration, coordenadora do NPD (Núcleo de Provas Digitais) e do Núcleo de Ensino EaD,  Técnica de Coleta e Processamento de Registro de Provas Digitais na forma Criptografada com a tecnologia Blockchain e ICP Brasil, engenharia social reversa Maltego, Marcas e Patentes.