AS PROCESSUALISTAs TRABALHISTAS

Ligue o som

Hoje vivemos em um mundo totalmente digital onde os encontros são virtuais, e ao nos deparamos com uma carta escrita à mão, sem nenhuma tecnologia, carregada de sentimentos e verdades, só aí que nos damos conta do quão importante é e como fazem falta esses gestos de carinho.

Mas vamos falar de hoje. Estou aqui não só para dizer como estou feliz pelo presente, mas sim em dizer o quanto estou feliz por fazer parte dessa história, e por cada PROCESSUALISTA TRABALHISTA que escreveu esse livro e que tive a oportunidade de conhecer, o meu muito obrigada.

Mas em especial…

À Dra. Valeria Ribeiro, mulher forte e guerreira, com tipo meio moleque, mas de alma grandiosa, de uma simplicidade absurda, e na realidade é a mulher que coloca “fogo no parquinho”, expressão essa ecoada em muitas lives e palestras por esse mundo, por isso o leitor quando ouvir “Fogo no Parquinho”, vai logo lembrar da Dra. Valeria Ribeiro, por quem tenho muita gratidão, respeito e admiração.

E junto com ela vieram…

Dra. Patrícia Medeiros, juíza, professora, aluna e acho que posso ousar chamar de amiga, mulher e mãe guerreira, que me deu oportunidades, que me ensinou muito, que aprendi a admirar e respeitar, não somente pelo seu cargo, mas sim pela pessoa que vejo cada vez que olho para ela, muito obrigada, e sim, que venham mais loucuras, pois estarei sempre aqui para apoiar.

Dra. Isabel Scorcio, que falar dessa pessoa, como Dra. Valeria mesmo diz, que é meu xodó, mas vamos explicar melhor para que o leitor entenda bem. Dra. Isabel, Belzinha, Isa, não importa qual o nome que a chamamos, qual a forma de carinho que demonstramos, o que importa e quem ela é, uma mulher que vi desabrochar, sair da zona de conforto e ganhar o mundo. Com ela é tudo preto no branco, mas mesmo sendo assim, ela carrega consigo um coração grandioso de uma alma encantadora.

Dra. Jessica Brasil, não sei se a conheço, e se não, ainda vamos ter muitas oportunidade, quero agradecer pelo carinho de suas palavras.

Deixo aqui minha reflexão ao leitor, no sentido de que ainda que vivamos em mundos virtuais, com reuniões, tire um tempo pegue papel e caneta e escreva uma cartinha para quem você ama e envie pelo correio.

Por Silvana de Oliveira